Ah, a foto com a fofinha da Isabelle Drummond, aí embaixo, é do Rizemberg Felipe. Tem que dar os créditos, tem que dar os créditos.

E, sim, Manuzinha, ela continua fazendo o Sítio. Vai completar onze anos no mês que vem, se não me engano...

Ah, você mora em João Pessoa, quer ir ao cinema e não tem nem idéia do que está passando ou vale a pena assistir? O ranking dos filmes em cartaz em João Pessoa já está atualizado, hein? É lá no Portal Bip.
Então está combinado: todo mundo no Parahyba Café nesta sexta para uma nova festa 80 Músicas dos Anos 1980. Começa às 22 horas e o ingresso é só e tão-somente três reaisinhos. Não sejam muquiranas, é mais barato que um cheeseburguer na promoção do Igo's Burguer do Tambiá Shopping.
TIETE, SIM, E DAÍ?

Vejam:

É a Isabelle Drummond, a Emília do Sítio do Picapau Amarelo. Não é a coisa mais linda?

ESTIVEMOS COM PROBLEMAS TÉCNICOS NOS NOSSOS ESTÚDIOS...

Certo, certo, a Manu tem razão: andamos tendo uns probleminhas com os links aqui. Mas agora já está resolvido. Até prova em contrário, pelo menos.

E, só para esclarecer: certas mulheres, mesmo que sejam amigas e que nunca vá acontecer nada demais, romanticamente falando, merecem ser sempre cortejadas, sim. Qualquer dia escrevo aqui sobre as minhas amigas namoráveis.

GET BACK!

Alô, povão, agora é sério: minha coluna no Portal Bip voltou mesmo. O tema é o Globo de Ouro. Um trechinho só para dar um gostinho:

"A divisão entre filmes dramáticos e comédias acabou fazendo com que os filmes mais falados não concorressem entre si. O Aviador, de Martin Scorsese, concorreu como drama e venceu, levando ainda mais dois Globos de Ouro (ator, para Leonardo DiCaprio, e trilha sonora). Sideways – Entre Umas e Outras, de Alexander Payne, disputou a categoria comédia/musical e foi o melhor filme, ganhando ainda o de melhor roteiro. Os dois despontam como ligeiramente favoritos ao Oscar, mas o jogo pode mudar até lá."

Não é o Big Brother, mas pode ir lá dar uma espiadinha.

ESLO...QUÊ?

Você sabe como é a Eslovênia? O quê? Você nem sabe o que é uma Eslovênia?

Então acompanha a viagem da Manu pela ex-república soviética aqui. É como um Globo Repórter só nosso.

CURRÍCULO

Uma amiga é a mais nova solteira da praça. Por mais que isso seja triste, ela parece estar bem: já está até colocando anúncios para filtrar os interessados em deixar currículo. Sendo assim, não custa nada...

- Eu sempre digo "bom dia, moça", "boa noite, moça" e até mesmo "saúde, moça". O "Moça, dormiu bem?" anda meio difícil ultimamente pela simples falta de ter alguém para quem dizer.  

- Ela disse que não tem de ser bonito. Yes! Ainda no páreo.

- "Se conformar com o fato de eu ser uma mulher de palavras". Hum. Não parece muito difícil.

- Gostar de dar boas risadas, eu gosto. Mas ela quer alguém que faça isso com a boca bem aberta e a cabeça para trás. Nunca reparei especialmente, mas acho que minha cabeça pende para a frente quando eu rio. Ponto contra.

Mas ainda acho que é uma boa média. Vou ali tirar uma foto 3x4 para anexar e já volto.

ATENÇÃO! ATENÇÃO!

Mais blogs nos links aí do lado. Da Carol Abiahy e da Lívia. Sem links aqui, crianças, vão até lá embaixo e aproveitem para ver os outros, não sejam preguiçosos.

DE MÉDICO E LOUCO...

Ainda na série "The Ione Maria Complete Diaries", cheguei a novembro de 2001 (ainda há muito para ler). Nesse mês, ela fez uma listinha de manias que possui (ou possuía na época). Coisas como grafar as passagens preferidas dos livros ("mas sempre a lápis"), enfiar tudo quanto é papel na bolsa ("um hábito cidadão - é pra não jogar em qualquer lugar"), ler vários livros de cada vez... Bom, não vou citar tudo: leia lá. Vou elencar algumas minhas aqui também... Os interessados podem lembrar mais ou dizer as suas.

Algumas ela e eu temos em comum:
- Deixo as comidas mais gostosas para o final
- Coloco o cinto imediatamente após sentar no banco do carro
- Fico o papel na mão até encontrar um lixeiro - mesmo que isso leve muito tempo
- Mordo o lábio
- Corrijo erro de português em tudo o que eu leio

Outras:
- Arrumar os DVDs, livros e CDs em um ordem estabelecida rigorosa (enquanto o resto do quarto é a maior bagunça)
- Sempre ler a Veja, a Época e a IstoÉ começando pelo final
- Sempre usar caneta com tampa
- Andar sempre com a agenda, mas não anotar compromissos nela
- Quase sempre dormir com cobertor, mesmo que esteja o maior calor
- Assistir filmes deitado no sofá
- Pedir sempre as mesmas coisas, nos mesmos lugares, quando come fora
- Dizer "Ah, é, é?" (quem notou essa foi uma ex-namorada) e "Sei..." (outra ex-namorada adorava essa). OU então "Você é quem sabe" quando me obrigo - muito a contragosto - a aceitar a decisão de outra pessoa. 

Certamente existem outras, mas não vou lembrar agora...

CRÍTICA/ "DANÇA COMIGO?"

Um simpático aprendiz

A dança já foi um elemento importantíssimo no cinema, como instrumento que atraía o público e ajudava a criar sucessos de bilheteria. As pessoas gostavam de ver ícones de elegância e destreza, um passo após o outro, e com o mínimo de cortes possível - para provar que eles conheciam mesmo o assunto. Isso foi nas décadas de 1930, 1940, 1950. Faz tempo. Mas, nem que seja um pouquinho, Dança Comigo? (Shall We Dance?, EUA, 2004) é herdeiro dessa tradição.

O filme mostra um homem de meia-idade (Richard Gere), bem sucedido e bem casado (com a esplêndida Susan Sarandon), que se interessa pela bela figura de uma mulher (Jennifer Lopez) e, para chegar perto dela, se inscreve na escola de dança onde ela é professora.

Como ele, o filme é como um simpático aprendiz de dança, que não sabe todos os passos, mas ama a arte de coração. Gere não é Fred Astaire e J.Lo não é Cyd Charisse (que surgem numa cena de A Roda da Fortuna), mas o diretor Peter Chelsom é sábio ao reduzir os cortes e mostrar que alguma perícia eles possuem.

Simpático e às vezes comovente, Dança Comigo? procura fugir aos clichês mais aparentes e consegue deixar os personagens críveis. O sensual balé entre Gere e J.Lo é bom, mas parece já ter sido visto antes. Assim, a melhor cena, a que resume mesmo o filme, é aquela em que a veterana professora o convida para dançar “Shall we dance?”, numa bela e delicada homenagem ao clássico O Rei e Eu (1956). (Renato Félix)

Dança Comigo? (Shall we Dance?, EUA, 2004). Direção:? Elenco: Richard Gere, Jennifer Lopez, Susan Sarandon, Stanley Tucci, Lisa Ann Walter, Anota Gillette. Site oficial: http://www.miramax.com/shallwedance/

 

[ ver mensagens anteriores ]
Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, JOAO PESSOA, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, Spanish
MSN - renatofelix2002@hotmail.com