MOMENTO "80 MÚSICAS DOS ANOS 1980"

"We're talking away.
I don't know what I'm to say,
I'll say it anyway.
Today's another day to find you.
Shying away.
I'll be coming for your love, ok?

Take on me (take on me)
Take me on (take on me)
I'll be gone
In a day or two"

"Take on me", A-Ha, 1985

Festa 80 MÚSICAS DOS ANOS 1980 - PARTE III
No Parahyba Café, dia 26 (sábado, aniversário da Aline - e da Anna Carolina também, que já disse que vai, ou pelo menos espera ir), às 22h. Ingresso: R$ 3.

MOMENTO "80 MÚSICAS DOS ANOS 1980"
  

 

 

 

"Eu jogo um charme, alguém me vê:
Nada acontece.
Não sei por que, se eu não perdi nenhum detalhe.
Onde foi que eu errei?

Ainda encontro a fórmula do amor.
Ainda encontro a fórmula do amor.
Ainda encontro,
oh, oh, a fórmula, a fórmula do amor."

"A fórmula do amor", Léo Jaime e Kid Abelha, 1985

Festa 80 MÚSICAS DOS ANOS 1980 - PARTE III
No Parahyba Café, dia 26 (sábado, aniversário da Aline - e da Anna Carolina também, mas ela ainda não disse se vai), às 22h. Ingresso: R$ 3.

DUPLA JORNADA III - A SOBREVIVÊNCIA FINAL

16h20 - De volta à empresa, desta vez para a tevê. Pautas do dia: gírias e vícios, que será tema da entrevista de sábado; e... a posse de Altimar Pimentel na Academia Paraibana de Letras (nãããããõ...)!

17h44 - Reunião de pauta. Tranqüilo. Entrevista pra sábado no estúdio, marcada. Falta marcar com Altimar para amanhã.

18h26 - E tudo está bem.

Tô estranhando. Mas como da última vez que eu disse isso (hoje de manhã, lembram?), a coisa degringolou, é melhor fingir que nem percebi.

21h19 - Fim do expediente. Pautas marcadas, tarde tranqüila. Deu até para fazer o circuito de blogs. E pensar que eu tinha medo do estresse daqui - e não do jornal... Sobrevivi, turma!

DUPLA JORNADA II - A MISSÃO

12h17 - Para quem ainda não sabe, O Casamento de Romeu e Julieta é a história de um camarada (Marco Ricca) que torce fervorosamente para o Corinthians (e por isso merece sofrer, ele e seus descendentes) e se apaixona por uma moça ("apenas" Luana Piovani), que é de uma família de torcedores fanáticos do Palmeiras. Primeira impressão:

 A imagem “http://adorocinema.cidadeinternet.com.br/filmes/casamento-de-romeu-e-julieta/casamento-de-romeu-e-julieta08.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

Aí é covardia, né? O meu Flamengo que me desculpe, mas assim até eu.

13h - Terminada a matéria sobre O Casamento de Romeu e Julieta. Me empolguei, vou ver amanhã ou sábado. Tentei ligar para a assessoria para marcar uma entrevista com o Bruno Barreto, mas não funcionou. Nunca mais entrevistei um diretor de cinema... Agora, à coordenada, sobre Robôs.

Tudo está correndo normalmente, com exceção de estar tudo atrasado. Devo estar até decepcionando os leitores...
Comentário da Chris: E aí, Renato, beleza? Como vai indo a sua vida de cinéfilo? Estou visitando seu blog por sugestão da Ana Paula, minha amiga querida, que também está escrevendo em outro blog com o mala do Fernando, outro amigo igualmente querido.Adorei seus posts, viu? Beijos

13h06 - Eu e a minha boca grande. Acabou de chegar mais duas pautas: a Orquestra Sinfônica Jovem apresenta concerto amanhã e haberá outro, com a orquestra portuguesa Sociedade Musical Vouvelense (acho que é isso, a impressão do e-mail cortou a lateral da mensagem). A mensagem, aliás, só com data, local e regente. E o editor pediu 15 linhas para a capa.

- Tem relise disso? - pergunto, inocente.
- Não, só tem isso. Vê se consegue alguma coisa na internet.

Repetindo: eu e minha boca grande.

13h32 - Terminada a coordenada sobre Robôs. Aliás, a versão nacional já começa errada: Reynaldo Gianecchini dublando o protagonista?! Eles piraram?!

13h37 - Acabei de procurar "Sociedade Musical Vouvelense" no Yahoo. Lógico que não deu nada.

13h39 - No Google: nada. Mas apareceu uma tal de Sociedade Musical Vouzelense. Só falta ser essa. No e-mail aqui na minha mesa, diz que a estará aqui amanhã é de Viseu (cidade que, aliás, é de uma ex-namoradinha virtual que eu tive - uma mocinha muito especial, quero deixar registrado). Bom, é minha única pista, vamos ver se é ela mesmo.

13h42 - Maravilha. O site nem está mais no ar. Eu mereço.

13h45 - Descobri que essa tal Sociedade Musical Vouzelense é mesmo de Viseu. Só pode ser ela. Ô, assessoriazinha! Mas, também, de informação só isso. Não há nenhum leitor português por aí, não, né?
Comentário da Juliana: Eita, quinta-feira abençoada! rsrsrs Bjo e sorte! :D

13h50 - Bom, pelo jeito, acho que vou ter que tirar 15 linhas disto.

14h - Fome.

14h25 - Terminei a matéria da Sinfônica Jovem. Agora faltam... deixa ver... acho que duas. A próxima é a dos portugueses...

14h48 - Melhor resultado da Sociedade Musical Vouzelense em concursos: 1º lugar no Concurso realizado nas festas do Senhor de Matosinhos.

Olha o material com que eu tenho que trabalhar...

14h55 - Já usei todas as palavras disponíveis que eu poderia usar nessa matéria e ainda faltam cinco linhas! Aaaaaaaaaargh!

14h58 - Toca o telefone.

- Redação.
- Alô, você é repórter?
- De cultura.
- É que eu tenho uma matéria de a Justiça Federal determinou que blá-blá-blá-blá-blá. É com você?

Eu mereço...

15h01 - Morte aos vouzelenses. Vamos à crítica.

15h24 - Crítica - de Mar Adentro - terminada. No jornal sai domingo e na segunda estará aqui e nos e-mails daqueles que estão na minha listinha de distribuição (se eu não atrasar de novo). Agora, vou almoçar e daqui a piuco, o batente é na tevê...

DUPLA JORNADA - O POST

Você está assistindo Dupla Jornada, um dia de adiantamento na vida do Renato Félix.
Para evitar que outros textos interessantes sejam soterrados por essa besteirada, tudo o que foi publicado nessa maratona está concentrado aqui. Os comentários, inclusive.

9h54 - Com as pautas de um baile no Clube Cabo Branco, dos filmes que estréiam amanhã - O Casamento de Romeu e Julieta entre eles - e a crítica dominical para fazer, mais uma pauta aparece: o dramaturgo Altimar Pimentel será empossado amanhã na Academia Paraibana de Letras e apareceu aqui na redação. Acabei a entrevista agorinha.

10h05 - Acabo de ser informado que a matéria do Altimar Pimentel vai para capa. Pode? Bom, aqui pode.
Comentário da Carolinha: Aqui pode tudo. Nunca vi isso! =/

10h37 - Frase que a PH acabou de dizer aqui do lado: "Renatinho, pare de ficar se oferecendo no seu blog que um dia dá certo". Diante da minha total cara de quem não está entendendo nada, ela explicou que se tratava do "Alguém mais se habilita?" no final do texto "Decentemente beijada". E a Aline concordou!

Não é não, seus mentes sujas (me dirigindo também a quem mais pensou isso - risos)! É só um convite para também responderem à pergunta - o que, aliás, o pessoal sacou logo, começando pela Giselle. Não estou tão carente assim, não, tá?

Vamos simbora voltar ao trabalho...
Comentário da Giselle: Ai Renato, isso é intriga da oposição, acho uma idéia muito boa rememorar grandes beijos, desde que não soframos com isso. O que (AINDA) não é o meu caso....kkkkkk...ô inferno.....

10h51 - Esses cientistas... Sempre descobrindo o óbvio.
Comentário da Carolinha: Eu nem me surpreendo mais.

11h30 - E por que Altimar Pimentel resolveu concorrer a uma cadeira na Academia Paraibana de Letras, afinal? 

“Eu sou escritor e a Academia é naturalmente um local onde se reúnem e participam da vida cultural da cidade os escritores e artistas vários”.

Participam da vida cultural. Sei.

11h32 - Soltem os fogos de artifício! Scatapum! Sacaratapum! Sacaratapapum! A primeira matéria já foi! Vamos agora a O Casamento de Romeu e Julieta, filme nacional que estréia amanhã.
Comentário da Ana Paula: Que bom... Eu só vou fazer a primeira de hoje às 18h30. Que tédio...

TRAILER

Ele já enfrentou dias de adiantamento no jornal antes.

Os imprevistos, as pautas de última hora, a internet caindo, os telefones que não atendem.

But now...

O desafio é maior.

O dia de adiantamento é seguido do expediente na tevê!

E ele terá que passar por todos os obstáculos para superar mais este desafio.

Academy Award critic Renato Félix

em Dupla Jornada.

Aqui. Em tempo real!

MOMENTO "80 MÚSICAS DOS ANOS 1980"

 

"Don't get me wrong
If I'm acting so distracted.
I'm thinking about the firewoks
That go off when you smile"

"Don't get me wrong", The Pretenders, 1986

Festa 80 MÚSICAS DOS ANOS 1980 - PARTE III
No Parahyba Café, dia 26 (sábado, aniversário da Aline), às 22h. Ingresso: R$ 3.

DECENTEMENTE BEIJADA

 "That Thing You Do" is smile (Foto: Fox)

Do filme The Wonders, que se passa em 1964: a banda acabou, e os integrantes já se foram. Só restaram no hotel o baterista Guy e a ex-namorada do vocalista, guitarrista e compositor Jimmy. O namoro também ruiu junto com a banda.  Faye está na calçada, com as malas, esperando o táxi para voltar para sua cidadezinha. E Guy, depois de observá-la por alguns instantes, resolve finalmente ir até ela:

GUY - Antes que se vá, me deixe fazer uma pergunta.
FAYE - Manda.
GUY - Quando foi a última vez em que foi beijada decentemente? Quero dizer, beijada de um modo realmente, realmente verdadeiro?

Faye precisa pensar alguns segundos.

FAYE - Dave Gammelgard, véspera de ano novo... 1961.
GUY - Ok.

E a beija.

***

A minha resposta é:
Carolina Pôrto, abril de 2003.

Alguém mais se habilita?

ORGULHO

Esta veio direto do Escafandro, da Angélica:

E o cara chega para os amigos, na mesa de bar, e comenta, cheio de orgulho:

- E aí, viram só? Minha mulher está namorando o Chico Buarque!!!

MOMENTO "80 MÚSICAS DOS ANOS 1980"

 

"Minha mãe me falou que eu preciso casar
Pois eu já fiquei mocinha.
Procurei um alguém e lhe disse: 'Meu bem,
Você quer entrar na minha?'"

"Beat acelerado", Metrô, 1984

Festa 80 MÚSICAS DOS ANOS 1980 - PARTE III
No Parahyba Café, dia 26 (sábado, aniversário da Aline), às 22h. Ingresso: R$ 3.

CRÍTICA/ "O AMIGO OCULTO"
 

A menina vale o ingresso

O Amigo Oculto (Hide and Seek, EUA, 2005) é um filme que, em algum momento, decepciona o espectador. Se não for lá pelo meio, vai ser nos cinco minutos finais - péssimos. A impressão deixada não é das melhores, mas, contas feitas, o filme não é ruim.

Não é exatamente original na temática, mas o filme é bem conduzido, sem cair no mau gosto e no susto fácil. Há uma surpresa a ser revelada, mas isso acontece ainda na metade da história - o que foge do habitual e apresenta uma nova situação para o suspense, ainda mais assustadora.

Pena que poderia ser bem melhor explorada. O diretor John Poulson encaminha tudo para um final de moral duvidosa e um desfecho em aberto desnecessário.

De Niro está bem, mas nada de especial. Mas a menina-prodígio Dakota Fanning, de 11 anos, rouba mais um filme de um ator vencedor do Oscar (antes, as “vítimas” foram Sean Penn, em Uma Lição de Amor, 2001, e Denzel Washington, em Chamas da Vingança, 2004), com outra interpretação impressionante - e sem parecer adulta demais. Ela já está valendo sozinha o ingresso de um filme. (Renato Félix)

O Amigo Oculto. Hide and Seek. Estados Unidos, 2005. Direção: John Polson. Elenco: Robert De Niro, Dakota Fanning, Famke Janssen, Elisabeth Shue, Amy Irving, Dylan Baker.

PRIMEIRO DIA

Resumo da ópera do primeiro dia na tevê:

- Cheguei no horário (15h).

- Não pude usar o computador imediatamente porque não tinha ainda uma senha do sistema. Peguei minhas pautas (três para amanhã e uma para quarta) e tentei adiantar por telefone.

- 17h: parei tudo para ir fazer o exame admissional. Uma hora e meia depois, volto para o jornal para tentar concluir pelo menos duas das pautas.

- Cerca de 19h30: consigo finalmente marcar a primeira pauta

- Cerca de 19h45: falta luz. O gerador não funciona. Ficamos uns bons minutos (não sei quantos) sem poder trabalhar, porque a central telefônica também não funciona nessa situação.

- 21h07 (agora): estou redigindo a primeira das pautas. A outra está marcada, mas falta combinar com um dos entrevistados. A terceira deve ficar mesmo para amanhã...

PS: Obrigado a todos pela força. Não imaginava tantos comentários!

Daqui a exatamente uma hora começo minha aventura como produtor de jornalismo na televisão.

E que Deus me ajude...

CIRCUITO DOS BLOGS

Quase todo dia eu faço o que eu chamo de "Circuito dos blogs". Visito os blogs dos amigos e os favoritos um a um para checar as novidades por lá.

Há novidades nesse circuito aí do lado, embora algumas já fizessem parte dele por fora. Outras, são presentes vindos diretamente da comunidade Jornalista Só Anda Junto, da qual (finjo que) sou moderador no Orkut. E todas elas andaram aparecendo aqui, nesse modesto recipiente de idéias de um jornalista-cinéfilo-amador profissional.

Primeiro: minha amiguinha Ana Paula, de Juiz de Fora, está dividindo um blog com um amigo (eles devem rachar o aluguel, ter uma tabela para saber quyem faz a faxina em que dia, essas coisas). O nome é bem sugestivo: Jornalista o Caralho (piiiiii!). Está bem no começo, mas já textos impagáveis, como a "sinopse burra e curta" de Perto Demais e um elogiozinho ao Jornalista Só Anda Junto! Qualquer um é bem-vindo...

Segundo: o fotolog da Virginia, a moça que vendeu uma vaca para ser jornalista e é paqueradora oficial da minha foto no Orkut (decididamente, tem gosto para tudo): Mega Mutantis. Parece que agora, ela volta à ativa, depois de deixar os visitantes na expectativa.

Terceiro, but not least: finalmente matando a vontade de colocar o blog e fotolog da Carol Queiroz, que não resisto e chamo nos links aí do lado de Anna Carolina, porque é o nome mais lindo do mundo. O blog é o Unidade de Terapia Intensiva e o fotolog... Bem, o fotolog muda de nome quase todo dia. Hoje é Sorria, Meu Bem. Sorria!.

Deleitem-se, leitores.

EXPLICANDO O QUE NEM FREUD EXPLICA

Ia responder aos comentários do texto "Nem Freud explica" lá mesmo nos comentários, mas acho melhor fazê-lo por aqui, mesmo, porque a resposta será meio longa.

Primeiro, obrigado pela força, meninas. Gostei de cada palavra. Segundo, aquele texto tinha um objetivo, que era explicar uma postura complexa por sua simplicidade e que é difícil de entender ao mesmo tempo.

Acho que não ficou claro uma coisa: fui eu que decidi me afastar, e me afastei de verdade quando finalmente vi que não tinha mais chances. Os contatos foram muito esporádicos desde então - a maioria absoluta das vezes por iniciativa dela - , e só houve um período com uma tentativa de reaproximação (por e-mail), logo ceifada pela revelação do namoro.

Lógico que eu penso muito nisso porque, a bem da verdade, não sou um cara que desperta muitas paixões. E, por favor, sem melodrama, estou apenas sendo realista - tanto que eu também sei que, tendo a oportunidade, sou um namorado que marca para a vida inteira. Só que o sentimento de perda é maior quando você sabe que vai demorar para ter algo assim de novo.

É natural pensar no passado - afinal, foi lá onde vivemos a maior parte da nossa vida. Mas isso não é exatamente ficar "olhando para trás e remoer o passado", porque eu tive minhas expectativas românticas de lá para cá - elas só não se concretizaram.

Sou categórico em dizer que não tenho esperanças e que já estaria em outra há muito tempo, se o alinhamento dos planetas tivessem favorecido isso. Já sabia que estava sem chances antes mesmo de ela ter um namorado - quanto mais agora!

Só que o que acontece é que ela e eu temos a mesma profissão, e eu estou no mercado e ela não. Logo, eu fico sabendo das vagas por aí, e ela não. De verdade: as dicas não são para ganhar pontos com ela - eu nem preciso disso, minha imagem com ela é a melhor possível. E - isso é muitíssimo importante - ela em nenhum momento agiu de má-fé comigo. Foi no máximo, covarde - no sentido de medrosa - em determinados momentos.

Errou, é claro, e isso pede sanções - no caso, o  meu afastamento. Mas seria muito pior se ela tivesse sido desonesta - e aí, em verdade vos digo, meu lado escorpiano afloraria sem problemas, como já aflorou quando necessário. "Cuidado com a ira de um homem paciente", já disse um poeta francês de quem me esqueço o nome.

Quem disse que ser egoísta vai fazer com que eu me sinta melhor? Não vai, essa é a questão. Às vezes, eu acho que seria melhor ela ter me traído em algum momento para eu poder odiá-la com todas as minhas forças e mandar o "te abraça" para ela e ponto, como foi sugerido (mentira: lógico que eu prefiro que ela não tenha sido desonesta).

Ser momentaneamente omisso, egoísta e duro só vai me fazer sentir o que não senti até agora em nenhum relacionamento: a sensação de ter sido injusto. E isso, para mim, é um peso. Não sei se ainda há resquícios daquela paixão em mim, ou se é só o inconformismo, mas sei que eu não a odeio. Eu gosto dela como pessoa - e não há porque não gostar. E aí, os meios aparecendo na minha frente, não vou ajudar?

Passei as dicas mas - importante - através de uma amiga em comum. Foi a maneira que encontrei de fazer isso sem um contato direto, que continuou não existindo - a não ser quando ela tomou a iniciativa para agraceder.

Então, esclarecendo: ajudar dessa forma não é um sacrifício pra mim. Sacrifício é fechar os olhos e ser omisso. Meus sentimentos por ela são outra coisa: e aí o problema é o contato direto - que aconteceu na semana passada por acaso, e de uma forma que eu não esperava, o que me tirou do eixo.

Acho que eu consigo separar as coisas. É um equilíbio difícil, mas eu ainda acho que é melhor do que mandá-la para o inferno sem que ela mereça isso.

[ ver mensagens anteriores ]
Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, JOAO PESSOA, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, Spanish
MSN - renatofelix2002@hotmail.com